validar uma ideia de negócio

Quero empreender. E agora? 5 dicas para validares a tua ideia de negócio

Se tens uma ideia para um negócio já estás no bom caminho. A pergunta que te fazemos é: já descobriste se a tua ideia de negócio é válida? Neste artigo vamos falar-te da importância de testar e validar uma ideia de negócio.

Há algum tempo escrevemos sobre o que fazer quando se tem uma ideia de negócio. Lembras-te deste artigo? Hoje queremos focar na ideia e especificar como podes validar uma ideia de negócio. 

O que queremos dizer com “validar uma ideia de negócio” 


“A melhor forma de ter uma boa ideia é ter muitas ideias”

Esta frase é absolutamente verdade no mundo do empreendedorismo! Nem todas as ideias que temos são boas, viáveis ou interessantes. Se, muitas vezes, acreditamos que os nossos processos de pensamento nos vão permitir identificar uma boa ideia, isto raramente é verdade. Sim, o nosso feeling interno e a motivação são óptimos indicadores para prosseguirmos com uma ideia. No entanto, eles não são suficientes, nem os melhores critérios de avaliação. 

É muito importante termos um processo de validação das nossas ideias de negócio que seja objetivo e comprovado. Por muito que uma ideia nos apaixone, ela tem que se concretizar em vendas de alguma forma. Senão, então não é um negócio é um óptimo hobby ou projecto voluntário. Nada contra dedicarmos tempo e energia a hobbies e voluntariado, mas é preciso estarmos conscientes que é isso que estamos a fazer. 

Portanto, quando falamos em validar uma ideia estamos a referir-nos a testá-la através de um processo objectivo. Confrontarmos a nossa ideia com determinados critérios e analisamos resultados concretos.

Porque é importante validar a nossa ideia de negócio

Quando objetivamente validamos a nossa ideia, em primeiro lugar, estamos a retirá-la do campo das ideias abstratas e levá-la para a acção. É, de entre as diferentes ideias que temos, aquela que escolhemos passar algum tempo a concretizar e testar. 

Depois, a validação de uma ideia também reforça a motivação para a concretizar. Como podes ver a seguir, o processo de validar uma ideia dá trabalho e pode ser frustrante. Se o levamos até ao fim é porque estamos (cada vez mais) motivados para executar a ideia e a transformar num negócio. 

Finalmente, ao validarmos uma ideia estamos a reduzir o risco. Imagina que lanças um negócio sem analisar a concorrência, perceber quem será o teu cliente? Que investes logo bastante tempo e dinheiro na versão final do teu produto ou serviço sem antes o testares com potenciais clientes? O mais provável é que algo não corra bem no processo e vai custar muito mais (tempo, dinheiro e outros recursos) a corrigir esta rota. Por vezes, não vai ser possível e acabas por ter que fechar o negócio e aceitar as perdas como uma lição.

Como validar uma ideia de negócio?

1. Identificar o problema associado

 “O problema é algo na vida de uma pessoa que a deixa menos satisfeita ou mesmo em dificuldades. Ela vai procurar soluções mais ou menos adequadas para responder este problema ou necessidade”. Se queres saber mais sobre como identificar o problema, lê o nosso artigo dedicado a “Dicas para identificar o problema do negócio”. Porque é importante? Bom, uma ideia de negócio que não responde a nenhum problema dificilmente se traduz num negócio viável. 

2. Analisar o mercado 

Tens uma ideia, o problema existe, agora é altura de identificar o mercado que, de alguma forma, já existe. Qual é a concorrência directa ou mesmos as soluções alternativas à tua? Qual é a dimensão do mercado a que estás a querer dar resposta? Mesmo que existam outros produtos ou serviços semelhantes à ideia que temos (o mais provável), isto pode ser uma boa notícia: existe mercado para a nossa ideia! O importante nesta fase é encontrarmos o nosso fator diferenciador face à concorrência. Ele vai ser essencial para que a nossa ideia seja válida e se possa concretizar num negócio bem sucedido. 

3. Testar com potenciais clientes 

Quando percebemos que a nossa ideia de negócio é validada por um problema de um público específico e que há um mercado nessa área, estamos prontos para testar a nossa ideia com outras pessoas. Idealmente, vamos procurar quem seja o mais aproximado do nosso público-alvo possível. A família e os amigos podem ser os primeiros a quem conseguimos recorrer e podemos fazê-lo. Precisamos é de nos lembrar que as suas opiniões não são isentas e, por isso, se recorrermos a pessoas que conhecemos, precisamos de tentar ser o mais incisivos possível.

No entanto, ainda que desconfortável, conseguimos sempre encontrar desconhecidos. Por exemplo, a Sara e a Cátia, participantes do Programa de Ignição, decidiram testar o seu serviço para famílias indo a um parque infantil numa tarde de fim-de-semana e conversar com os pais que aguardavam enquanto os filhos brincavam. A estas pessoas vamos apresentar a nossa ideia de negócio, incluindo o posicionamento escolhido. Vamos recolher as suas opiniões e perceber se pagaria por um produto ou serviço como que estamos a pensar criar. Não sendo a altura de tentar vender, é muito importante testar o interesse em comprar: se não estiverem dispostos a pagar pelo que oferecemos, ou a nossa ideia (ainda) não é suficientemente boa ou escolhemos o público-alvo errado.

4. Criar e lançar protótipo

Teste feito e validado com potenciais clientes? Altura de criar um protótipo, uma versão inicial daquilo que pretendemos oferecer. A criação do protótipo permite-nos começar a concretizar a nossa ideia de negócio e perceber os principais desafios que ela nos apresenta. Aqui estamos a criar algo simples e barato que vai permitir aos potenciais clientes experimentarem o nosso produto ou serviço. Por exemplo, se queremos vender bolos e sobremesas por encomenda, podemos começar por enviar informação sobre o produto que escolhemos para ser o de venda inicial via WhatsApp para potenciais clientes, em vez de criarmos logo um catálogo com uma dezena de produtos e criarmos um website para o efeito. Neste artigo muito interessante, podes ter alguns exemplos do que fizeram alguns empreendedores.

5. Perceber como transformar interesse em compra

Todas as etapas anteriores funcionaram? Então a ideia está praticamente validada! O que falta é percebermos como vamos chegar aos nossos potenciais clientes e fazer com que eles comprem os nossos produtos? Será através de uma estratégia digital focada em redes sociais? Iremos dar a provar os nossos produtos a potenciais clientes? Abordar influencers? Vamos procurar parceiros para promoção conjunta? Vamos estar presentes em eventos? 

Pronto para avançar? Sentes que preferes fazê-lo com companhia e apoio?

O Programa de Ignição do menos é onde podes validar a tua ideia de negócio, da forma mais simples possível. Onde consegues aplicar esta validação com bastante profundidade, com o apoio de ferramentas altamente eficazes e um processo transformador. Que o digam os empreendedores com que já trabalhámos! É um ciclo de desconstrução e reconstrução de uma ideia mais forte, com muito apoio e energia dos facilitadores, outros empreendedores e toda a equipa. Queres fazer parte? Vê mais informações aqui

partilha entre empreendedores no processo de validação da ideia de negócio

Share this post

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on print
Share on email

Junta-te à nossa newsletter

Junta-te à nossa newsletter

Scroll to Top