marketing digital

Marketing Digital – 7 dicas para pequenos negócios (parte 1)

Já paraste para pensar quantas vezes consultas o teu telemóvel diariamente? Estudos recentes indicam que existem mais de 3 biliões de utilizadores de smartphones em todo o mundo e cada indivíduo passa, em média, 3 horas e 15 minutos por dia no telemóvel. A geração Y está no telemóvel cerca de 5,4 horas por dia e os baby boomers dedicam 5 horas. O mesmo estudo também diz que cada indivíduo verifica o telemóvel em média 58 vezes por dia, muitas delas em horário de trabalho. Sendo o marketing a ciência que estuda o mercado, seguiu a tendência e deu origem ao marketing digital. No Menos estamos cientes da sua importância, por isso, deixamos algumas dicas a ter em consideração na altura de colocar o teu negócio online, de forma a tirar o maior partido do mundo digital. Vamos a isso?

1. Identificar o Público-alvo

O público-alvo é o grupo de pessoas para quem se produz o produto/serviço. Por exemplo, imagina que a ideia de negócio é fazer um curso de meditação online, o teu público-alvo são sobretudo profissionais stressados, com trabalhos de alta pressão. Ou imagina que o teu negócio é fazer fotografia de bebés, o teu público-alvo são casais “recém-pais” da tua cidade e arredores.

Identificar o teu público-alvo, vai ajudar a ser mais objetivo e perspicaz na comunicação e as tuas decisões vão depender dele. Partilhámos alguns critérios usados para definição do público-alvo:

Demografia (Idade, gênero, estado civil, ocupação/indústria, nível de formação);

Localização (Podes escolher uma cidade, uma zona do país ou a nível nacional. Podes ainda segmentar clientes nas redondezas da tua cidade);

Psicografia (Diz respeito à personalidade. Por exemplo: Interesses\atividades- Gosta de jogar golfe, sair a viajar pelo mundo apenas com uma mochila, adora jardinagem, coleciona selos;

Atitudes e opiniões (o que o teu público acredita. Exemplo: pessoas que gostam de produtos bio; pessoas que procuram sempre produtos de alta qualidade, entre outros)

Identificar o teu público não é difícil e traz imensos benefícios. Por isso, tem em atenção os critérios que mencionámos anteriormente, estuda a tua concorrência e analisa se os teus clientes são as mesmas pessoas, assim saberás se ofereces algo novo e relevante ao teu público. 

2. Escolher o tom de voz

A forma como uma empresa comunica com o seu público-alvo, seja online ou offline, é umas das características mais marcantes e importantes da sua identidade. A isso chama-se o tom de voz da marca. Depois de conheceres o teu público poderás decidir qual o melhor tom. Ele permite a criação de conteúdo cada vez mais alinhado com a audiência, ao mesmo tempo que posiciona a marca no mercado. Pode ser um tom mais sério e informativo, eficiente, calmo, bem-humorado, amigável, formal ou divertido. Lembra-te que a voz é o macro da comunicação e o tom é individual através dos canais, das conversas e interações da empresa. É importante parar alguns minutos para perceber quais os adjetivos que melhor definem a tua marca.

3. Definir a Persona

Personas são representações fictícias dos seus clientes ideais. São baseadas em dados reais sobre as características demográficas e comportamento dos seus clientes (ou potenciais clientes), assim como uma criação das suas histórias pessoais, motivações, objetivos, desafios e preocupações.

Como utilizar as Personas:

  • Determinar o tipo de conteúdo a desenvolver para atingir os objetivos;
  • Segmentar conteúdos e até bases de dados;
  • Definir o tom e o estilo do conteúdo;
  • Ajudar a desenhar estratégias de marketing digital, focadas nas personas;
  • Definir os tópicos sobre os quais deverá escrever;
  • Entender onde os “prospects” procuram e consomem informação.

Exemplo de persona: André, 39 anos, responsável pelo departamento de vendas da empresa onde trabalha. Vive em Sintra, é casado, tem dois filhos, adora música clássica e passeios pela natureza de bicicleta. Nos tempos livres gosta de fazer longas distâncias de bicicleta com a família e, pelo menos uma vez por ano, faz uma viagem para descobrir os melhores trilhos em Portugal e Espanha. A sua maior questão é o facto das grandes lojas venderem bicicletas onde os componentes se estragam rápido e facilmente, o que é complicado visto ter quatro bicicletas. Não vai de encontro às suas necessidades.

Constrói a tua persona online, deixamos como sugestão o seguinte: 

Contudo, é importante ter em conta que público-alvo e personas são coisas diferentes. Podemos dizer que o público-alvo é a definição mais genérica do consumidor. Já a persona cria uma identidade bem definida de uma personagem de forma a comunicar com o cliente de acordo com os seus gostos e necessidades reais.

A criar a Persona durante o Programa de Ignição

As restantes 4 dicas podem ser vistas neste artigo: Marketing Digital – 7 dicas para pequenos negócios (parte 2)

Share this post

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on print
Share on email

Junta-te à nossa newsletter

Junta-te à nossa newsletter

Scroll to Top