A importância da comunidade para os micronegócios

A comunidade desempenha um papel importante em todos os aspetos da nossa vida. Seja a comunidade dos amigos, família, emprego, bairro ou muitos outros. Ser parte de uma comunidade pode nos fazer sentir como se fizéssemos parte de algo maior que nós mesmos. Dá-nos a oportunidade de nos conectarmos às pessoas, alcançar os nossos objetivos e sentirmo-nos seguros, o que é fundamental num mundo de negócios cada vez mais volátil e competitivo. É sempre bom encontrar alguém com quem partilhar dúvidas, medos e trocar algumas impressões. Por esse motivo, no Menos Hub damos muito valor à existência e permanência de uma comunidade forte e unida. Uma comunidade de microempreendedores como tu, com oportunidades de partilha, aprendizagem e possibilidade de sinergias.

 

Mas o que é uma comunidade

Como o próprio nome sugere, uma comunidade é quando se reúnem pessoas com interesses e objetivos comuns. Embora seja bastante usada no sentido de agrupamento, uma comunidade é bem mais que um grupo de pessoas: é um grupo de interesses. Pode ser online ou offline, mas a palavra de ordem é colaboração. Apesar de ainda ser uma prática centrada em interesses comuns, permite que cada um dos seus membros mantenha a sua individualidade, sem perder a noção de pertencimento. A comunidade, deixou de ser uma estrutura rígida pré-definida e passou a ser um espaço em permanente (re)construção.

 

Vantagens das comunidades

Viver em comunidade gera consequências positivas para os indivíduos enquanto cidadãos, entre elas:

  • Toda a gente se conhece pelo nome;
  • Entreajudam-se quando é necessário;
  • São muitas vezes uma segunda família, onde os filhos crescem e brincam juntos;
  • Apoiam pequenas empresas comprando localmente e escolhendo seus serviços. 
  • Ajudam os vizinhos em novos projectos.
  • Dão suporte aos filhos com programas e creches depois da escola .
  • Ambiente de segurança e proteção; 
  • Entre outros;

Por outro lado, numa comunidade de empreendedores as vantagens podem ser reiteradas diariamente, assim como, as oportunidades de apoiar e ver a coparticipação a acontecer. Por exemplo:

  • Empreendedores contrataram serviços uns dos outros; 
  • Criação produtos e eventos em conjunto; 
  • Discutem ideias;
  • Partilha de estratégias de crescimento, até mesmo na mesma área de negócios; 
  • Introdução a pessoas de interesse;
  • Parcerias;
  • entre muitos outros. 

De forma simples, através dos encontros, é possível os empreendedores fazerem muitas partilhas, receberem força, perceberem que não são os únicos com determinadas dificuldades e celebrarem em comunidade cada vitória. Uma comunidade forte significa maior audiência, visitas, compromisso e entreajuda. Pode aumentar a visibilidade do negócio e da marca, assim como, estabelecer novas conexões, recrutar pessoas com habilidades que se encaixem perfeitamente no perfil do negócio.

 

Qual o propósito de uma comunidade?

Cada comunidade tem os seus objetivos e faz sentido diferenciar que tipo de objetivo, assim como, se a comunidade é interna ou externa. Comunidades com finalidade interna existem para cuidar de si mesmas. Os membros reúnem-se para apoiarem-se uns aos outros, aprenderem em conjunto, inspirarem-se, sentirem a sensação de comunhão, segurança e pertencimento. Isto é, trata-se de relacionamentos entre membros. Comunidades com finalidade externa existem para buscar metas externas. Por exemplo: membros reúnem-se para apoiar crianças com doenças raras, angariando dinheiro e conectando-as a soluções médicas e ajudando as famílias a suportar os custos de internamento.

Embora a maioria das pessoas precise fazer parte de uma comunidade para as necessidades da vida, a maioria quer fazer parte de uma comunidade porque há algo indescritivelmente adorável em fazer parte de um grupo de pessoas que compartilham algo mais substancial que a localização geográfica, algo que eles sentem apaixonadamente. Algo que, quando partilhado, faz com que os indivíduos pareçam menos solitários. 

 

A importância da comunidade para os empreendedores

Ser empreendedor não é fácil, principalmente no início da atividade, mas ter uma comunidade ao longo da jornada é sempre uma mais valia. É natural que haja bons e maus momentos, e é durante alguns desses momentos que os empreendedores precisam de conselhos de pessoas que pensam da mesma forma ou compartilham as mesmas experiências. O sistema de suporte obtido numa comunidade empresarial, seja on-line ou físico, ajuda o empreendedor a crescer e a garantir que não está sozinho nas lutas que enfrenta, aumentando assim a sua confiança. Há algo particularmente poderoso quando o empreendedor reconhece alguém que sabe lidar com os desafios e é apaixonado por um sonho. Às vezes, o caminho é solitário, mas ser membro de uma comunidade permite que partilhem e recebam conselhos, troquem ideias e cresçam juntos. 

Existem empresas que fazem da comunidade o principal objetivo do negócio, pois sabem que quanto mais confiança tiverem mais vão vender. Criando a sua própria tribo. Por exemplo, a Apple tem a sua tribo e os seu clientes são fiéis, comprando apenas produtos da marca e fazem fila sempre que é lançado um novo produto. Uma comunidade é fundamental, especialmente no mundo dos negócios. Seja startup, empresa local ou corporações nacionais, cada uma dessas entidades faz parte de uma comunidade e deve construir sua própria comunidade. Por um lado, as comunidades compõem fãs, clientes, repórteres, investidores e seguidores que mantêm as marcas e as empresas em funcionamento. É por isso, que os empreendedores devem envolver-se e participar ativamente em eventos de networking ou voluntariado e mostrar o rosto por trás de seus produtos e serviços.

 

Como os micronegócios afetam a comunidade em geral?

Quando falamos em micronegócio e comunidade, não podemos falar apenas na comunidade interna da empresa, pois o seu impacto vai muito além, estamos a falar da comunidade em geral. As pequenas empresas trazem emprego às áreas locais, ajudando à sustentabilidade económica da região. São uma grande ajuda no que respeita a coesão da comunidade, pois muitas vezes são elas que doam recursos para escolas ou organizações da comunidade, sabendo quase sempre o nome de todos os clientes e das suas famílias, ajudando a criar lealdade entre residentes e um fluxo contínuo de negócio. Os proprietários de micronegócios cultivam relacionamentos e não têm medo de ajudar outros empresários, quando necessário. Para além disso, têm espaço para a criatividade, pensar fora da caixa e criar produtos lucrativos. Todos sabemos, que grandes ideias tiveram origem num ambiente de pequenos empreendedores, pois eles não se importam de partilhar o que sabem, são como livros abertos cheios de conhecimento e experiência. 

 

É por todos estes motivos referidos anteriormente, que no Menos damos especial importância à comunidade, pois ela permite aos empreendedores partilharem, aprenderem e evoluírem num contexto mais informal e de cooperação. Para além disso, estamos cientes que existe muito valor nas comunidades e nos micro-negócios, sem eles, as comunidades não prosperariam. E a maior contribuição que os empreendedores podem dar à comunidade geral, é ser bem-sucedido nos negócios. “A união faz a força”, mas não só, a união faz a diferença, pois cada pessoa é importante com todas as suas singularidades e para alcançar o bem comum é necessário trabalhar para o todo. Seja qual for o objetivo, se houver união e espírito de comunidade a meta será alcançada em menos tempo e com menos esforço.

 

Share this post

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on print
Share on email

Junta-te à nossa newsletter

Junta-te à nossa newsletter

Scroll to Top